Aconselhamento sobre a escolha do seu animal de companhia

Embora cães e gatos sejam animais de estimação muito comuns, as pessoas ainda têm dificuldade de entender que são espécies diferentes, e portanto, cada uma delas tem o seu próprio perfil de comportamento. Pensar que um gato se deva comportar como um cão, é exigir demais de um felino, um animal de temperamento muito mais independente.

Enquanto a maioria dos cães é bastante submissa ao dono, os gatos, apesar de reconhecerem seus "senhores", agem de maneira própria, não respondendo de forma tão imediata como os cachorros. Independência é uma palavra que define muito bem o gato: ele atende ao dono se estiver "disponível", contrariamente ao cão que, por princípio, está sempre disposto a acompanhar a família.

Uma outra diferença entre as duas espécies são os períodos do dia em que estão em plena atividade. Os cães dormem à noite, mas os gatos fazem isso de dia. Os hábitos do gato são muito mais noturnos, assim como fazem os outros felinos na natureza. À noite é o momento de caçar. É claro que um gato doméstico não tem essa necessidade, mas a maioria deles fica mais ativo nos períodos noturnos.

Os gatos, desde filhotes, procuram locais para fazer suas necessidades onde possam enterrá-las depois. Assim, basta deixar uma caixa de areia para gatos à sua disposição que ele saberá reconhecer a sua casa de banho. Já os cães são bem mais "descuidados" e precisam de ser ensinados para aprenderem a ser "civilizados" Se não for ensinado, qualquer lugar está bom para eles. Em ambas as espécies, os machos costumam marcar território com a urina.

No caso das fêmeas, também existem diferenças importantes. Ambas só acasalam durante os cios, mas esse período é distinto nas duas espécies. As Cadelas têm cios de seis em seis meses, e apresentam sangramento durante cerca de 15 dias, as gatas apresentam cios em intervalos e com duração muito variáveis e nunca ocorre sangramento. As cadelas são extremamente discretas durante o cio, comparadas com as gatas. Estas são difíceis de se manter se não forem castradas pela necessidade que têm de atrair os parceiros.

alimentação
No que respeita á alimentação, os felinos são exigentes e não comem qualquer coisa. A sua dieta deve ter altos níveis de proteína, daí a ração de gatos ser bem mais palatável que a dos cães. Para um cão, todos os alimentos são ótimos, por isso, é muito mais comum um cão sofrer uma intoxicação alimentar do que um gato. Os felinos cheiram o alimento e analisam-no, ingerem-no mastigando os pedaços. Os cães são afoitos e abocanham a comida e não mastigando engolem em pedaços grandes. Os cães comem exageradamente, enquanto os gatos, apenas o suficiente.

Embora existam tantas diferenças entre essas espécies, ambas são ótimas como animais de estimação.
É preciso apenas compreender e respeitar o comportamento de cada uma delas, para que a convivência com o homem seja tranquila e sem frustrações.

 

Outra questão é a dos Banhos...

Os gatos são extremamente limpos e cuidam da sua higiene diariamente através da lambedura. Assim removem a pelagem velha e eventuais parasitas, conseguem manter-se limpos por muito mais tempo e sem odores.
Os cães podem sentir um certo prazer em sujarem-se, a razão dessa preferência por odores repugnantes a nós humanos é que os lobos, espécie da qual os cães descendem, procuravam disfarçar o seu cheiro natural esfregando-se na carne de outros animais. Isso facilitava a caça, pois a presa não conseguia farejá-los. A herança genética continuou nos cães e muitos ainda fazem isso, e para desgosto dos donos, os cães não gostam, mas toleram os banhos e os Gatos abominam a água!

Os gatos, apesar de serem animais bem limpos precisam tomar banho regularmente, especialmente as raças que têm pelo longo. Isso porque o famoso “banho de língua” não retira todas as impurezas. Um duche ajuda a diminuir a queda de pelos, o controle das pulgas e até o tratamento de doenças dermatológicas.

Mas, atenção, ele não precisa de mais que um banho por mês.