Medicina Preventiva

 

Envenenamento NOS ANIMAIS

Infelizmente, todos os dias corremos riscos de encontrar o nosso animal envenenado quando regressamos a casa, após um dia de trabalho.Não corremos riscos apenas no ambiente externo, mas também dentro da própria casa: plantas, alimentos, medicamentos para uso humano, produtos de limpeza, são alguns exemplos.Todos os anos morrem milhares de animais envenenados acidentalmente.

Conheça alguns dos perigos que esconde o seu lar e o meio envolvente.

Gatos e Cães:- Ingestão de Lírios (Insuficiência renal aguda - gatos)

- Ingestão de plantas (tais como, azevinho, azáleas, tomateiro ornamental, "estrelas do natal")


- Medicamentos para uso humano (paracetamol "Bem-u-Ron" - letal em gatos; anti-inflamatórios como ácido acetilicilico "Aspirina" ou ibuprofeno "Brufen" em baixas doses provocam perturbações gastro intestinais - vómitos, diarreias e úlceras gástricas. Em doses elevadas, podem provocar insuficiência renal.

- Produtos de limpeza

- Cloro (a água da piscina dependendo da concentração em cloro, pode provocar vómitos e irritação gástrica).

- Rodenticidas (O princípio activo dos rodenticidas é rapidamente absorvido (90%) pelo sistema gastro intestinal e provoca alterações hemodinâmicas associadas à má coagulação do sangue

- Alimentos:

Cebola e alho - Possuem dissulfeto de alilpropila e alicina respectivamente, que causam alguns tipos de anemia, nomeadamente, anemia hemolítica.

Algumas manifestações clínicas: letargia, fraqueza, depressão, diarreia...

Chocolate e Café-Possuiem treobomina e cafeína respectivamente; o consumo em excesso pode problemas hepáticos, coma e morte do animal.

Tomate - A ingestão de apenas um tomate cereja (por gatos) pode causar distúrbios gastro intestinais severos.

Abacate - Possui persina, uma substância encontrada na polpa, na casca e no caroço da fruta que pode causar diarreia, principalmente em gatos.

Leite e derivados - A necessidade em lactose vai diminuindo com o crescimento do animal e estes podem ser intolerantes à mesma. A manifestação de sintomas como diarreias, são muito comuns quando há ingestão pelo animal, de leite de vaca.

Batata Crua - Possui solamina, substância que causa depressão do sistema nervoso central e provoca distúrbios gastro intestinais.

Fermento - Causa produção de gases que podem causar dor e ruptura do estômago ou intestino.

Frutas Cítricas - Podem causar vómito e diarreia.

Nozes - Podem causar problemas gastro intestinais como vómitos e diarreia e problemas respiratórios como tosse e espirros.

Ossos/Espinhas - Podem causar laceração e obstrução do sistema digestivo.

Ovos Crus - Possuem avidina, uma proteína presente numa forma activa em ovos crus, inibe a ação da biotina ao ligar-se a esta, evitando a sua absorção normal no intestino. Os problemas dérmicos são algumas das manifestações causados pelo consequente défice de biotina. A salmonelose pode também ser um risco para o seu animal.

Uva - Causa vómitos e diarreia, letargia, perda de apetite e problemas renais.

Peixe Cru - Contém tiaminase, que metaboliza a tiamina levando a perda de apetite, convulsões e em casos severos a morte.

Pipocas - Podem causar asfixia e o sal presente nesta pode provocar desequilíbrios electrolíticos.

Xilitol - Adoçante artificial utilizado nas pastilhas, p.e.; causa graves problemas hepáticos num espaço de 24h após ingestão, em cães. Sintomas como fraqueza, letargia, perda de coordenação, colapso, convulsões e morte também são vistos após consumo

Se suspeitar que o seu animal ingeriu algo que não devesse, não se esqueça de transmitir informações ao médico assistente, do que é que foi ingerido, qual a quantidade e quando foi ingerido. Para além disso, a história clínica do seu animal não deve ser descuidada. O tratamento deve ser realizado pelo médico veterinário. "Remédios caseiros" como dar leite, clara de ovo, azeite, podem piorar a situação do seu animal. Os alimentos gordurosos, dependendo da substância ingerida podem aumentar a absorção do tóxico.

O médico veterinário avaliará a necessidade de internamento para tratamento de suporte (hidratação, controlo de vómito, sedação - em tóxicos que promovam convulsões, medicação para diminuir absorção do tóxico e se for possível, o próprio antidoto). Prevenir é o melhor remédio!

Mantenha o seu amigo afastado destes "males". Certifique-se que deixa armários fechados, que ele não tenha acesso a alimentos não próprios (desde batatas, doces, pastilhas), deixe a tampa do wc fechado, tape bem o balde do lixo, não guarde nada em sacos. Estes são adorados por cães e alguns gatos!

 

Cuidados com as temperaturas no verão

1)- Nos dias de muito calor, evite passear com o animal entre as 11 e 17 horas .

2)- Não permita nunca que ele fique exposto ao sol

3)- Ao passear com ele, considere que os cães não utilizam tênis e podem sim queimar suas patas especialmente no asfalto que pode chegar a mais de 50 graus de temperatura.

4)- Não o leve para a praia.

5)- quando passear forneça água durante todo o tempo do passeio, na nossa clinica temos dispositivos adequados para o efeito, e disponibilize em casa sempre água fresca e em bebedouros limpos.

6)- Não deixe o animal preso dentro do carro, pois em dias muito quentes, a sua temperatura interna atinge cerca de 55 graus Celsius em apenas dez minutos, especialmente quando o mesmo estiver exposto ao sol.

Cuidados a ter no Inverno

Durante o inverno é comum perceber que o animal de estimação está engripado quando apresenta sinais como coriza, tosse, espirro, febre e falta de apetite. Isso acontece porque os nossos amigos também sofrem com doenças típicas da estação e os sintomas são semelhantes aos apresentados por uma pessoa com gripe, porém se não tratados a tempo podem evoluir para um quadro mais grave. Se o animal não receber os cuidados ideais, uma simples constipação pode chegar a uma pneumonia, o que é bem mais difícil de tratar.

As doenças mais recorrentes nesse época são a Gripe dos Gatos e a Canina. “Nos cães a doença é chamada de Traqueobronquite e pode aparecer em qualquer época do ano, mas, a maior incidência é no inverno. Já nos gatos é mais comum o Complexo Respiratório Viral”

No entanto, a maneira mais eficaz de prevenir qualquer doença ainda é por meio da vacinação. “Cães e gatos devem receber duas doses da vacina enquando filhotes e depois de adultos a dose é anual. Além disso, é importante salientar que o vírus da gripe e de outras doenças que atacam o sistema imunológico dos animais não são transmissíveis ao ser humano.

Nos casos em que o seu amigo já tenha contraído a doença,a clinica VET recomenda uma visita imediata para fazer o tratamento mais adequado. Dependendo do estado clínico será necessário o uso de medicamentos como antibióticos e vitaminas .