Vacine os Seus Animais

Vacinação

Quando decidimos adoptar um animal de companhia temos que assumir o compromisso de assegurar todas as suas necessidades. É um compromisso sério que implica atenção e cuidados permanentes.

Uma forma de retribuir o amor dos nossos amigos de estimação é exatamente estarmos atentos , e cumprirmos o calendário de vacinação prescrito pelo médico veterinário. Os nossos amigos devem iniciar as vacinas antes de começarem a sairem à rua. Existem muitas doenças virais que podem atingir os cães e os gatos e que são causadoras de morte, principalmente nos filhotes.

Existem várias doenças que podem ser fatais para os cães, mas felizmente conseguimos prevenir algumas delas com vacinas efetivas. Para a vacinação ser efetiva tem que se respeitar um esquema de vacinações, que idealmente é feito do seguite modo:
- Uma primeira vacina entre 6-8 semanas,
- Segunda vacina 3 semanas depois,
- Terceira vacina 4 semanas depois.
Após este esquema será feito um rapel anual.

O esquema de vacinação de rotina protege os cachorros de sete doenças: esgana, parvovirose, leptospirose, hepatite infecciosa, parainfluenza, coronavirose e raiva. A vacina da raiva é administrada entre os 3 e os 6 meses de idade. Os reforços das vacinas são feitos uma vez por ano, podendo a da raiva ser administrada ao mesmo tempo ou incluída na mesma vacina.

Porque é que meu cachorro precisa de mais do que uma vacinação?

Quando os cachorros se alimentam do leite materno, recebem uma imunidade temporária sob a forma de proteínas chamadas anticorpos. Durante as primeiras 24 a 48 horas após o nascimento o intestino do cachorro absorve estes anticorpos directamente para o sangue. Esta forma de imunidade é protetiva durante as primeiras semanas de vida, mas a certa altura começa a falhar e o cachorro tem que ser capaz de estabelecer a sua própria imunidade de longa duração.Os anticorpos maternos são neutralizantes, por isso enquanto estiverem presentes, as vacinas não têm a capacidade de estimular o sistema imune do cachorro.

Como não podemos determinar com exatidão o momento em que o cachorro perde a imunidade maternal, seguimos um esquema vacinal de várias injeções para aumentar a probabilidade de apanharmos o momento em que esta é efetiva. Uma vacinação apenas, mesmo sendo efetiva e não neutralizada por anticorpos maternos, é pouco provável que estimule uma imunidade de longa duração.

A vacina da raiva é uma exceção, porque uma única injeção, administrada na altura certa, é suficiente para produzir imunidade de longa duração.

Desparasitação

Os parasitas intestinais (endoparasitas) são comuns nos cachorros, podendo estes ser infetados antes de nascerem ou mais tarde através do leite materno. A maioria dos produtos no mercado são efetivos e sem efeitos secundários, por isso pode fazer-se a desparasitação a partir das seis semanas de idade. É importante repetir a desparasitação passadas duas a três semanas porque estes produtos só eliminam os parasitas adultos, e durante este período os estados larvares tornam-se adultos e susceptíveis ao desparasitante. Os cães permanecem suscetíveis à reinfeção por parasitas intestinais, por isso é recomendada a desparasitação periódica, principalmente para animais que frequentam o exterior. Até aos seis meses de idade a desparasitação interna é feita uma vez por mês, passando depois a ser feita de três em três meses.

Vacinação e desparasitação nos Gatos

Existem várias doenças que podem ser fatais para os gatos, mas felizmente a maior parte delas pode ser prevenida pela vacinação. Para serem efetivas, as vacinas devem ser administradas segundo um esquema de vacinação que inclui 3 injeções, nomeadamente às 6-8, 12 e 16 semanas. Deve ser efetuado um reforço vacinal todos os anos.

O esquema de vacinação de rotina vai proteger o seu gatinho contra 3 doenças, a panleucopénia felina, a rinotraqueíte infeciosa e a calicivirose. Para os gatos que frequentam a rua ou que estejam em contacto com gatos que possam andar na rua, pode e deve ser feita a vacina para a leucemia felina. A leucemia felina é uma doença fatal que é apenas transmitida por contacto com outros gatos, principalmente quando andam em lutas.

Desparasitação

Os parasitas intestinais são muito comuns nos gatinhos. A fonte de infeção por ascarídeos mais importante em gatinhos é o leite materno, logo estes podem ser infetados à nascença. Recomenda-se assim a desparasitação do seu gatinho a partir das duas semanas de idade. Como o desparasitante só atua nos parasitas adultos, deve ser repetido passadas duas a três semanas após a primeira dose e depois uma vez por mês até aos seis meses de idade. A partir dos seis meses a desparasitação é feita duas vezes por ano.

Vacina da Leishmaniose

A leishmaniose canina é uma doença frequentemente fatal, cujos sintomas incluem febre, queda do pelo (em especial à volta dos olhos), perda de peso, lesões cutâneas e problemas nas unhas.

Uma vacina contra uma doença tão grave como a leishmaniose canina evita tratamentos dispendiosos, o sofrimento do animal, o sofrimento dos seus donos e o risco que estes correm de serem infetados.

É feita uma recolha de sangue prévia, para despiste da doença. Caso o resultado seja negativo, cumpre-se o programa de vacinação. A vacina poderá ser administrada a partir dos seis meses de idade, sendo que o ciclo de vacinação completo consiste em três injeções, com intervalos de três semanas.

A protecção implica ainda uma dose de reforço anual da vacina para manter a imunidade.